1º de Dezembro - Restauração da Independência de Portugal


Em 1580, Portugal perdeu a sua Independência e passou a ser governado por um vice-rei espanhol, passando D. Filipe II de Espanha a intitular-se também Filipe I, rei de Portugal.
Filipe I nasceu em Valladolid, no ano de 1527 e tomou o Trono Português pela força iniciando um período muito mau para Portugal que durou 60 anos. Recebeu o cognome «O Prudente».
Filipe I faleceu em 1598.
Sucedeu-lhe seu filho Filipe II, de cognome «O Pio». Nasceu em Madrid, em 1578 e faleceu em 1621.
Filipe III sucedeu a seu pai Filipe II. Nasceu em Madrid, em 1605.
O povo português vivia cada vez mais revoltado; a decadência económica e política do país eram péssimas.
Em 1637, rebentou em Évora uma revolução a favor da independência de Portugal que saiu fracassada. Ficou conhecida como «A Revolta do Manuelinho».
Um grupo de quarenta portugueses, no mais absoluto segredo, preparou uma revolução. No dia 1 de Dezembro de 1640, concentraram-se no Terreiro do Paço e, ao soar da última badalada das nove horas, invadiram o Paço da Ribeira onde residia a Duquesa de Mântua, então regente do Rei de Espanha.
D. Miguel de Almeida (um velho fidalgo) assomou a uma varanda e gritou: – «Liberdade! Liberdade! Viva o Rei D. João IV!». A Duquesa tentou opor resistência, mas em vão. O português traidor ou Miguel de Vasconcelos, que era secretário da Duquesa correu a esconder-se num armário mas foi descoberto e pagou com a morte os ultrajes à Pátria. O Povo concentrou-se na Praça e aclamou o novo Rei, D. João IV (Duque de Bragança).
Nesse dia inesquecível, Portugal renasceu, recuperou a sua Independência e põs fim a 60 anos de ditadura espanhola.
Carlos Letra
Livro “História Cronológica do meu Portugal”

Sem comentários: