Actividades - Ilse Losa (autora do mês)

De maneira a que os alunos se familiarizassem com a autora e com alguns dos seus livros existentes na biblioteca, foi-lhes pedido que escolhessem uma frase que gostassem, depois de pequenas leituras da sua obra, e a transcrevessem com uma pequena ilustração, mencionando o nome da autora, o título e a página respectiva. Alguns requisitaram os livros para acabar de ler em casa.

                                           Clique nas fotos para poder ler.



  



  


Quem sou? De onde venho?

Actividade dinamizada pela Professora de Língua Portuguesa, Maria Filomena Valentim, com os seus alunos do 9º Ano, em exposição na nossa biblioteca.

"Cada um de nós traz consigo uma herança genética e cultural que nos liga a uma civilização, a um país, a uma família.
Alunos do 9º Ano partiram à demanda desse pulsar que, vindo do passado, fez de cada um deles um ser único e irrepetível.
Deram o melhor de si mesmos, descobriram percursos de heróis anónimos, figuras grandes pela simplicidade e integridade com que cumpriram o seu destino.
Esta exposição é uma homenagem da Escola aos seus alunos, e às famílias cujas vidas ficaram registadas nestas páginas."








Chegaram livros novos

Podemos até afirmar... livros para todos os gostos!
Venham espreitar a nossa montra de novidades.

Para quem gosta de leitura juvenil de ação, destacamos alguns dos livros da Coleção Cherub:
 Os agentes da CHERUB têm todos menos de dezassete anos. Vestem calças de ganga e t-shirts, e parecem crianças perfeitamente normais… mas não são. Eles são profissionais treinados para realizar missões ultra-secretas, estando aptos a vencer qualquer perigo e superar todas as dificuldades. Mas, para efeitos oficiais, estas crianças NÃO EXISTEM.  
As aventuras são emocionantes e perigosas. Aventura-te tu também, descobre qual o mistério destes livros, que estão a cativar cada vez mais jovens para a leitura!
 
"O início pode não ser grande coisa, mas depois o livro é excelente. E vais querer os outros e quando leres a colecção toda, vais chorar por mais!" (testemunho)

Aconselhamos-te a lê-los por ordem: Recruta, Traficante, Segurança máxima, O golpe, A seita, Olho por olho (temos todos).

                                
       
 
           
  

Lenda das Amendoeiras em Flor

Noutros tempos, a nossa província do Algarve esteve na posse dos Mouros.
Ora aconteceu, que ali havia um rei, o famoso e jovem rei Ibn-Almundim, que, um dia,  entre os prisioneiros de uma batalha, viu a linda Gilda, uma princesa loira de olhos azuis e porte altivo.
Impressionado, o rei mouro deu-lhe a liberdade, conquistou-lhe progressivamente a confiança e um dia confessou-lhe o seu amor,  pedindo-lhe para ser sua mulher. Foram felizes durante algum tempo, mas um dia, a bela princesa do Norte caiu doente, sem razão aparente. Um velho cativo das terras do Norte pediu para ser recebido pelo desesperado rei e revelou-lhe que a princesa sofria de nostalgia da neve do seu país distante.

fotografia de Cátia Nascimento 9ºC

fotografia de Liliana Luis - 9ºC


A solução estava ao alcance do rei mouro, pois bastaria mandar plantar por todo o seu reino muitas amendoeiras que, quando florissem, as suas brancas flores dariam à princesa a ilusão da neve e ela ficaria curada da sua saudade. Então, o rei mandou fazer grandes plantações de amendoeiras em todo o Algarve.
Na Primavera seguinte, o rei levou Gilda à janela da torre mais alta do castelo. Chegada ali, e vendo as terras cobertas de um manto branco, Gilda pensou que era neve, e a sua tristeza desapareceu.


O rei mouro e a princesa viveram longos anos de um intenso amor esperando ansiosos, ano após ano a Primavera, que trazia o maravilhoso espectáculo das amendoeiras em flor...


As amendoeiras começam a florir em pleno Inverno e conservam a flor, normalmente, até fins de Fevereiro.

Os melhores leitores do 1º Período


                                     Ilustração, autor desconhecido

Ler, faz-me pensar que as crianças gostam de o fazer porque é divertido e engraçado.
Ler, faz-me sonhar, rir e chorar, nos momentos piores e melhores. Gosto muito de ler, como gosto de cantar e espero que as crianças de todos os lados do nosso planeta tenham direito de aprender a ler porque é muito giro.                               
Marta Liliana Carneiro - 6ºA

Ler, faz-me sonhar, faz-me reflectir e realizar, faz-me rir ou até chorar.
Ler, faz-me ainda ler mais e mais, até não poder ver mais letras à frente...
Ler, fez de mim uma pessoa diferente.
Maud Adrienne Weterings - 7ºC

- Pensam que ler é assim tão mau?
- Não, não é! não doi nada: ler faz-nos sonhar, reflectir, pensar e até ver que quando temos um problema,  há sempre volta a dar.
Quando leio, há um mundo de emoção e imaginação à minha volta.
Sei que nem todas as crianças e adolescentes têm o privilégio de ler e se deixarem encantar pelas histórias, mas por eu o ter, é que  desfruto com tanta emoção.
Maria Margarida Murillo - 8ºD

E muitos outros...
                                          

Dia Mundial da Paz

Para assinalar este dia, 1 de Janeiro, a Professora de História, Filipa Matos, dinamizou com os seus alunos do 9ºC e D, um trabalho de imaginação histórica, em que os alunos, imaginando-se soldados ou enfermeiras da 1ª Guerra Mundial (1914-1918), escreviam cartas aos seus familiares.

Estes trabalhos estão expostos na biblioteca.

Apresentamos aqui, alguns deles.


     

Clique nas fotos para poder ler melhor.







 




Autor do Mês - Ilse Losa

Autor do Mês - Ilse Losa


O Mundo em que Vivi (1949), o seu primeiro romance, é um livro interessante sobre as memórias infantis e juvenis da própria autora, o desejo da boneca mais linda do mundo, as pessoas da aldeia, a descoberta quotidiana de sentimentos e emoções, mas também o retrato de um país marcado pela primeira guerra mundial e por o movimento nazi emergente que veio alterar profundamente a vida dos judeus alemães, e desta forma também a da própria autora.

A sua obra narrativa e poética, publicada essencialmente na década de 50, centra-se na retrospectiva autobiográfica, evocando a infância e a adolescência, enquanto vivência ensombrada pela ruptura da inocência e da unidade efectuada pela experiência do horror nazi e pela perda da pátria de origem.

A simplicidade com que exprime angústias passadas e presentes, com especial menção para o sentimento de se reconhecer estrangeira e estranha, quer no espaço natal quer na pátria adoptiva, estabelece uma continuidade com a escrita para crianças, domínio a que dedicou. Uma obra extensa, distinguida, em 1984, com o Prémio Gulbenkian de Literatura Infantil.

Autor do Mês - Ilse Losa

                                  


Ilse Losa nunca se cansou de escrever: “A valorização da dimensão humana, dos afectos (às pessoas, aos animais e às coisas), o elogio da vida, sem esconder a sua face mais austera e dura, mas valorizando os pequenos nadas que a torna mais suave e mágica”

Biografia
 Ilse Lieblich Losa, escritora portuguesa de origem alemã e de ascendência judaica, nasceu a 20 de Março de 1913, em Bauer, uma cidade perto de Hanover e faleceu no Porto a 6 de Janeiro de 2006.

A primeira infância foi passada com os avós paternos. Frequenta o liceu em Osnabrük e Hildesheim e o Instituto Comercial em Hanover. Após a morte do pai, partiu para Londres onde tomou conta de crianças durante um ano. 
De regresso à Alemana, e devido à sua origem judaica, é ameaçada pela Gestapo de ser enviada para um campo de concentração e por isso teve de abandonar o seu país natal, em 1930. Desloca-se primeiro para Inglaterra onde tem os primeiros contactos com escolas infantis e com os problemas das crianças, e em 1934 chega a Portugal, radicando-se no Porto. Casa com o arquitecto Arménio Losa e adquire a nacionalidade portuguesa.
É conhecida principalmente, pelos  livros para crianças, e pelo  livro sobre as suas memórias de infância , incluindo as perseguições aos judeus, com o título "O Mundo em que vivi” (1943).

A sua obra inclui romances, contos, crónicas, trabalhos pedagógicos e literatura para crianças.

Paralelamente à sua actividade de escritora desenvolveu outras ocupações quer no domínio da tradução, quer como colaboradora em jornais e revistas, alemães e portugueses, de que salientamos o Jornal de Notícias, o Comércio do Porto, o Diário de Notícias, Neue Deutsche Literatur, entre outros.
Ilse Losa está também representada em várias antologias de autores portugueses, tendo ela própria colaborado na organização e tradução de antologias de obras portuguesas publicadas na Alemanha. Traduziu do alemão alguns dos mais consagrados autores.

Em 1984 recebeu o Grande Prémio Gulbenkian, pelo conjunto da sua obra para crianças.
Em 1998 recebeu o Grande Prémio de Crónica, da APE (Associação portuguesa de Escritores) por À Flor do Tempo.

Resultados do Concurso de Fotografia - Biodiversidade

Finalizámos o Ano Internacional da Biodiversidade com um bonito painel de fotografias, com alguma da Fauna e Flora da nossa região, com o propósito de aumentar a consciência e a responsabilização para a necessidade de preservação de toda esta riqueza que nos rodeia e sem a qual não sobreviveríamos.
A biodiversidade pode ser traduzida pelas diferentes espécies de seres vivos, que existem nos mais variados habitats. Assim, quanto maior o número de espécies existentes num determinado local, maior a sua biodiversidade. Ela é a riqueza e a variedade do mundo natural.

As plantas, os animais e os microrganismos fornecem alimentos, remédios e boa parte da matéria-prima industrial consumida pelo ser humano.

Fotografias vencedoras:


 Clique na foto, para ver ao pormenor



Os pesquisadores estimam que 150 espécies sejam extintas , por dia, no mundo.
As plantas verdes no solo e as plantas microscópicas nos oceanos, produzem o oxigénio que respiramos.
Junto com as questões climáticas, a perda da biodiversidade é o maior desastre actual para a humanidade.

          A biodiversidade mantem a vida. Vamos protegê-la!