Concurso Uma Aventura Literária 2019




Afixado, na biblioteca, o cartaz com as modalidades e respetivos livros para o concurso.


Maratona de Cartas 2018 - em defesa dos Direitos Humanos


A Maratona de Cartas é o maior evento de Direitos Humanos organizado pela Amnistia Internacional.

Sensivelmente durante o último trimestre de cada ano, mobilizamos milhões de pessoas em todo o mundo para assinar e enviar cartas em prol de pessoas e comunidades em risco.
No fundo, pessoas comuns que aceitam continuar a longa tradição de escrita  e assinatura de cartas, para corrigir algumas das maiores injustiças.
Com a Maratona sensibilizamos para um conjunto de casos selecionados, o que poderá resultar numa melhoria das condições de vida para os defensores de direitos humanos. 
Em 2017 voltou a bater recordes de participação nacional e internacional:  Portugal enviou  308 750 assinaturas. Contabilizaram-se mais de 5 milhões de apelos, oriundos de cerca de 70 países diferentes.
A Maratona de Cartas irá decorrer de 1 de novembro até 31 de janeiro.



Um grupo de alunos de Educação Moral e Religiosa, sob a orientação do professor Farinha, trabalharam o tema na biblioteca.



Conhece aqui os ativistas/casos de 2018

Porquê participar na Maratona de Cartas?
Um pouco por todo o mundo, a liberdade para nos manifestarmos contra a injustiça, a liberdade para vivemos em terras que nos pertencem há gerações, a liberdade para defendermos o ambiente ou para nos manifestarmos contra a discriminação encontra-se ameaçada. As nossas cartas, as nossas palavras e ações irão fazer pressão para que que as autoridades atuem imediatamente e para que todos os que abusam de direitos humanos sejam apresentados à justiça.
Quem pode participar?
Qualquer pessoa pode participar. Escrever ou assinar um dos nossos apelos não tem limite de idade mínimo ou máximo. Disponibilizamos toda a informação sobre os casos para que todas as assinaturas sejam feitas com total conhecimento do caso em questão. Todos os anos contamos com a participação de milhares de pessoas que, em Portugal e no mundo, atuam. Desde escolas a empresas, desde universidades a jantares de família, desde cafés, museus ou à espera dos transportes, qualquer lugar é perfeito para que se assine uma carta.
https://www.amnistia.pt/euassino/

Revista Nosso Amiguinho



Disponível na biblioteca o teu "amiguinho" de novembro.


 E para ler histórias, fazer atividades ou jogar, visita o club aqui.

13ª Edição do Concurso Nacional de Leitura


Obras a nível de fase escolar:

1º Ciclo - "O rouxinol", Hans Christien Andresen


2º Ciclo                                                 3º Ciclo


Dirige-te à biblioteca e inscreve-te. Podes também requisitar os livros selecionados para a fase de escola.
Esperamos por ti.

.


13ª Edição do Concurso Nacional de Leitura



Reafirmando a intenção de promoção da leitura junto da população escolar de todos os níveis de ensino, regressa a iniciativa do Plano Nacional de Leitura PNL2027 a que se associam, tal como em edições anteriores, a Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), a Rede das Bibliotecas Escolares (RBE), o Instituto Camões IP, a Direção de Serviços de Ensino e Escolas Portuguesas no Estrangeiro (DSEEPE) e a RTP, responsável pela cobertura televisiva do evento.
Regulamento da 13ª edição do Concurso Nacional de Leitura (CNL), prevê que o mesmo decorra em quatro fases, entre o dia 4 de outubro de 2018 e o dia 25 de maio de 2019:
Inscrições: de 4 a 19 de outubro
Fase Escolar - de 27 de outubro a 21 de dezembro de 2018
Até 3 janeiro registo de obras lidas e alunos apurados - SIPNL
Até 10 de janeiro: divulgação da lista de alunos apurados no Portal do PNL;
Fase Municipal - de 11 de janeiro a 25 de fevereiro
Até 25 de fevereiro as bibliotecas municipais registam obras lidas e alunos apurados - SIPNL
Até 6 de março: divulgação da lista de alunos apurados no portal do PNL;
Fase Intermunicipal - de 7 de março a 30 de abril
Até 3 de maio as bibliotecas municipais registam no SIPNL as obras lidas e alunos apurados
Até 9 de maio: divulgação dos alunos apurados no portal do PNL e dos parceiros;
Fase Nacional
Prova escrita de pré-seleção: 13 de maio
Prova pública de palco: 25 de maio
http://bibliotecas.dglab.gov.pt/pt/noticias/Paginas/Concurso-Nacional-de-Leitura-20182019.aspx

Autoras do Mês



Ana Maria Magalhães  
Isabel Alçada




Ana Maria Magalhães nasceu em Lisboa a 14 de abril de 1946. Iniciou a atividade docente como professora de História de Portugal em 1969, em Moçambique. Estreou-se como escritora de livros infanto-juvenis em 1982.

Isabel Alçada nasceu a 29 de maio de 1950. Em 1976 optou por seguir carreira como professora de Português e História. Estreou-se com escritora de livros infanto-juvenis em 1982.

Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada conheceram-se à porta da Escola Fernando Pessoa e tornaram-se amigas, pois tinham muitas coisas em comum, nomeadamente infâncias felizes, com muitos primos, brincadeiras e atividades extra-curriculares.
Seis anos depois, as duas professoras escreveram o seu primeiro livro a quatro mãos: Uma Aventura na Cidade. As aventuras das gémeas Teresa e Luísa, e dos amigos Pedro, Chico, João, e os cães Caracol e Faial, já soma 60 livros. E originou uma série de televisão e um filme. 
Para criar as histórias, Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada já viajaram bastante, tendo ido, por exemplo, ao deserto do Sara, a Cabo Verde, a França ou a Macau, entre muitos outros sítios. Ao longo destas três décadas, as autoras escreveram muitos outros livros, alguns sobre história de Portugal, outros sobre temas de ficção. 
Na biblioteca encontras muitos livros das escritoras. Podes requisitá-los para ler em casa.




VISÃO Júnior

Revista Visão Júnior de novembro, já está disponível na Biblioteca Escolar




Revista National Geographic


Já disponível na biblioteca a revista de novembro.


Este mês, publicamos um dossier sobre Londres, uma cidade que se assemelha ao bulício de um formigueiro em constante movimento. Todos os anos, a população aumenta e Londres tem de crescer para a periferia, reinventando ao mesmo tempo o uso de velhos espaços urbanos. O que acontece em Londres terá reflexo nas grandes cidades do planeta.


Viajamos também para a Madeira, mais de uma década depois de termos analisado pela primeira vez os trabalhos de conservação sobre um dos mamíferos mais ameaçados da Europa – a foca-monge. As notícias das ilhas Desertas são promissoras, graças ao empenho de conservacionistas e ao entusiasmo da população madeirense.

Como será a dieta do futuro? Com uma população em crescimento e limites físicos à prática da agricultura e da criação de animais, a ciência propõe novos menus que talvez façam parte do quotidiano futuro. A princípio, estranha-se; depois, talvez se entranhe!
Nota ainda para reportagens sobre a Antárctida, o Hawai e a Turquia; a conclusão do projecto sobre as cores da Capela do Fundador no Mosteiro da Batalha; e a antecipação do novo documentário televisivo do National Geographic Channel com o português Miguel Stanley.


https://www.facebook.com/ngportugal/