Festival de Verão


 Despedida do ano letivo maravilhosa com música instrumental e canto pelos alunos de Educação Musical. Coordenação e organização da professora Sandra Jesus.

Festa refrescada e adocicada por alunos do 8º ano, a preparar o tão esperado passeio de finalistas.


















A pensar nas férias








Lenços dos Namorados

Trabalhos de grupo elaborados pelos alunos do 9ºD no âmbito de Educação Visual, sob a coordenação da professora Sandra Marinho





Amiguinho


A revista de junho disponível na biblioteca.

A Fauna de Cacela Velha

No âmbito da flexibilidade curricular, as disciplinas de EV+ET + C.N.+ Port. desenvolveram com a turma do 5ºA uma DAC com o tema.
Coordenação da professora Elizabete Isabel.







Visão Junior

Disponível na biblioteca a revista de junho.

Feira do Livro Usado


A biblioteca agradece a todos os que colaboraram no evento.
Posteriormente divulgaremos os livros adquiridos com a verba realizada.

Para além da promoção do interesse pela leitura e pelo livro, este tipo de feira promove também a tomada de consciência ambiental, ao reutilizar, dando uma segunda vida aos livros, e com a vantagem dos preços simbólicos.









Dia Mundial dos Oceanos


"Este ano o dia 8 de junho foi assinalado no meio de um intenso debate sobre o impacto do homem na qualidade da vida nos oceanos, sobretudo por causa de décadas de uso plástico considerado excessivo. 



As Nações Unidas estimam que, todos os anos, 13 milhões de toneladas de plástico vão parar aos oceanos, provocando a morte de 100 mil espécies marinhas.

O Mediterrâneo continua a ser o mar mais poluído do planeta. A certeza é dada por um biólogo espanhol que há mais de 30 anos estuda o impacto da ação do homem na qualidade das águas mediterrânicas. 

No caso do Mediterrâneo, o maior problema são os microplásticos — pedaços muito, muito pequenos, difíceis de detetar e que resultam da fragmentação de pedaços maiores, em contacto com a força das ondas.
Ainda assim, assegura, há tempo para agir. O biólogo diz que “estamos a tempo de salvar o Mediterrâneo”, mas “é agora ou nunca”. Várias organizações — como a ONU — e instituições governamentais têm em marcha programas e campanhas para tentar travar o problema.
(Observador.pt) toda a notícia aqui
 Portugal assinalou a data com várias iniciativas de limpeza dos oceanos em vários distritos.