Revista National Geographic

A revista de dezembro à disposição na biblioteca escolar.


Jerusalém, cidade santa para três das grandes religiões do globo e um paraíso para os arqueólogos. No subsolo, esconde-se uma história convulsa, de múltiplas ocupações do território e com inúmeras implicações políticas. O que se deve preservar num terreno minado como este?
Também no subsolo, olhamos para um dos grandes enigmas do debate sobre alterações climáticas. Com o arrefecimento mais rápido do que o previsto das regiões árcticas, também a tundra derrete, libertando mais gases com efeito de estufa do que aqueles que tinham sido incorporados nos modelos climáticos. Tocou a sineta de alarme para resolvermos este problema global.

Ainda no subsolo, viajamos até Sintra e ao Alto da Vigia, um sítio arqueológico espantoso, onde se escondem vestígios de um santuário romano e de um ribat islâmico. Há dois mil anos, não existia a Praia das Maçãs, mas muitos sintrenses acorriam à colina vizinha para prestar a sua devoção pagã.

Em África, entretanto, está em curso uma experiência de gestão de áreas protegidas. Uma ONG sem fins lucrativos trabalha com vários governos africanos para implementar estratégias mais agressivas de protecção da vida selvagem e da vida de vigilantes e população. O modelo tem dado boas provas.
No âmbito do Projecto Planeta Perpétuo, viajamos ao Nepal e acompanhámos uma equipa de geólogos e montanhistas que avalia o risco associado ao degelo abrupto e consequentes enxurradas dos mais de cinquenta mil lagos de montanha.

Por fim, regressamos ao tema do plástico, com uma abordagem aos comportamentos que teremos de mudar se quisermos inverter este problema ambiental.
Boas leituras! (National Geographic)

Cinema na BE


Às quartas-feiras, pelas 13:30H.

Filme projetado a 4 de dezembro.







Auggie Pullman, de dez anos, sofre de síndrome de Treacher Collins, uma malformação congénita rara que se manifesta em deformações no crânio e na face. Foi operado diversas vezes ao longo da sua curta existência. Agora que está a iniciar o quinto ano de escolaridade, os pais entendem que é o momento ideal de ele deixar de estudar em casa e de se aventurar numa escola normal. Apesar de consciente do grande desafio que tinha pela frente, Auggie não esperava que o seu aspecto físico fosse causar tanta aversão aos colegas. Contudo, à medida que os dias vão passando, acaba por compreender que tudo leva o seu tempo, até mesmo a aceitação da diferença...
Um filme dramático realizado por Stephen Chbosky ("As Vantagens de Ser Invisível") segundo um argumento seu, de Jack Thorne e Steve Conrad, que tem por base o "best-seller" homónimo de R. J. Palacio. Com Jacob Tremblay como protagonista, o filme inclui também Julia Roberts, Owen Wilson, Izabela Vidovic e Noah Jupe. (Público)

Vamos imaginar...




Exposição de trabalhos dos alunos do 6ºA propostos pela BE em parceria com a disciplina de Educação Visual coordenada pela professora Elizabete Isabel, no âmbito da celebração do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares.




.

Cinema na BE


Projeção de filmes às quartas-feiras na biblioteca Escolar, pelas 13:30H.





A 27 de novembro foi projetado o filme do espetáculo musical "A menina do mar". 

Uma adaptação do conto da escritora Sophia de Mello Breyner Andresen, por Filipe La Féria.

Atores, músicos, cantores, bailarinos e acrobatas representaram o espetáculo durante uma grande temporada no Teatro Politeama, em Lisboa, para milhares de crianças.

Pinheirinho de Natal - Concurso



Pedes um pinheirinho de cartolina na biblioteca e decoras a teu gosto, não esquecendo de escrever uma mensagem de Natal no tronco.

Deve ficar pronto até dia 10 de dezembro. Tens tempo de sobra!
Surpreende-te. Sê criativo!

Vamos imaginar... Resultados



Atividade inserida no Mês das Bibliotecas Escolares inspirada nas imagens coloridas e belas de um simples caleidoscópio, criado na biblioteca com a colaboração dos alunos.

A equipa da biblioteca felicita os autores dos bonitos e originais marcadores de livros que mais se destacaram, bem como todos os outros participantes.






"A imaginação enquanto produção de representações pressupõe uma atividade doespírito.
 É a capacidade de criar imagens mentais e poder pensar além da própria realidade, inovando-a.


imaginação permite ao ser humano conceber um mundo imaginário. É assim uma imaginação   produtora e que pode enriquecer o nosso espírito,  que é a representação de uma realidade ausente, mas que permite a existência da liberdade do espírito."
(Infopédia)






Eliminação da Violência contra a Mulher

A biblioteca organizou uma exposição de cartazes alusivos ao tema alertando para a desigualdade de género e outras formas de violência.




Em 1999, a assembleia-geral da ONU designou o dia 25 de Novembro o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, exortando governos, organizações não-governamentais, associações internacionais e locais a organizarem campanhas e actividades de combate ao flagelo. 

Na origem desta data está a luta das três irmãs Mirabal da Républica Dominicana, em 1960, contra a violência de que foram todas vítimas.


A Declaração para a Eliminação da Violência contra as mulheres, no seu artigo 1º, define a violência contra as mulheres como:


"todo o ato de violência baseado na discriminação do sexo feminino, que tenha, ou possa ter, como resultado um dano ou sofrimento físico, sexual ou psicológico para a mulher, assim como ameaças, coerção ou privação arbitrária da liberdade, tanto na visa pública como na vida privada".




Em Portugal e no mundo, todos os dias, inúmeras mulheres e raparigas são vítimas de algum tipo de violência. Muitas vezes são privadas dos seus direitos e não conseguem aceder ao apoio de que necessitam para se defenderem e ultrapassar as consequências deixadas pela violência.


.

Teatro na Escola

  Companhia de Teatro MINIATRO veio à nossa escola apresentar:
"O Príncipe Feliz" de Oscar Wilde.

Excelentes atores, divertidos, interativos com o público e sempre com boa disposição, representaram   a peça de forma a cativar a atenção dos miúdos e graúdos.





 Os meninos do pré-escolar e 1º Ciclo assistiram com muito entusiasmo à divertida peça.

Novos livros na estante



Fotografia: David Santos, Nuno Augusto
Textos: Vanessa Sousa
Tradução : Adam Prus
Editora Flying Book House, 2016


Receita para fazer o azul

Se quiseres fazer azul,
pega num pedaço de céu e mete-o numa panela grande,
que possas levar ao lume do horizonte;
depois mexe o azul com um resto de vermelho da madrugada,
até que ele se desfaça;
despeja tudo num bacio bem limpo,
para que nada reste das impurezas da tarde.
Por fim, peneira um resto de ouro da areia do meio-dia,
até que a cor pegue ao fundo de metal.
Se quiseres, para que as cores se não desprendam com o tempo,
deita no líquido um caroço de pêssego queimado.
Vê-lo-ás desfazer-se, sem deixar sinais de que alguma vez ali o puseste;
e nem o negro da cinza deixará um resto de ocre na superfície dourada.
Podes, então, levantar a cor até à altura dos olhos,
e compará-la com o azul autêntico.
Ambas as cores te parecerão semelhantes,
sem que possas distinguir entre uma e outra.
Assim o fiz – eu, Abraão ben Judá Ibn Haim, iluminador de Loulé – e deixei a receita a quem quiser
algum dia, imitar o céu.

Nuno Júdice