Livros novos na estante

Do romance à aventura, da ficcção científica ao conto infantil, por alguns dos grandes nomes da literatura mundial. 
Uma antologia dos melhores contos, com ilustrações de Cristina Valadas.



Alimentos saudáveis da região


Exposição organizada pelo Grupo de Ciências e Gabinete de Apoio ao aluno e Família (GAAF), com a colaboração dos alunos.





Dia da alimentação SAUDÁVEL

Exposição de trabalhos dos alunos do 6º ano, no âmbito da disciplina de Ciências da Natureza.





"Se compararmos a nova Roda dos Alimentos com a Pirâmide Alimentar Mediterrânea podemos notar algumas diferenças, não exatamente nos alimentos representados mas, sobretudo, na frequência com que devem ser consumidos.


As diferenças
• A principal é que a pirâmide se refere ao consumo de alimentos ao longo de um mês enquanto que a Roda se refere à ingestão diária de alimentos (por isso tem a forma redonda, que sugere um prato de comida).
• Na dieta mediterrânea, ovos, carnes brancas, peixe e marisco só algumas vezes por semana e carnes vermelhas 2-3 vezes por mês. Um dos grandes erros da alimentação dos portugueses reside no excesso do consumo de carne, sobretudo de carne vermelha.
• As nozes e outros frutos secos são utilizados na dieta mediterrânea diariamente e como substitutos proteicos da carne, pescado ou ovos. Embora o mesmo fosse desejável para Portugal, por cá estes alimentos são consumidos sobretudo na época natalícia, não lhes sendo reconhecida a sua importância na alimentação diária.
• Os doces são permitidos uma ou outra vez por semana (fim de semana?) o que não acontece na nossa Roda talvez porque esta se refere apenas ao consumo diário de alimentos.
• A nova Roda dos Alimentos centraliza a importância da água no dia a dia, o que não acontece na representação gráfica da dieta mediterrânea.



As semelhanças
• O consumo diário de alimentos "farináceos" como batata, arroz, leguminosas, pão e outros derivados de cereais (grão, feijão, etc.); legumes, fruta e laticínios com baixo teor de gordura é consensual.
• As gorduras como o azeite devem ser consumidas diariamente mas em pequeninas porções, uma vez que têm um valor calórico muito elevado e, em excesso, podem contribuir bastante para o aumento de peso."

in, https://www.educare.pt/opiniao/artigo/ver/?id=11698&langid=1


Desenhos do mês


Convidamos-te a ilustrar. 
Este mês,em que se comemora a importância das bibliotecas escolares por todo o mundo, o tema que te propomos tem a ver com a tua relação com ela. 
Inspira-te nos momentos em que lá passas.



Demasiado açucar...


...só a brincar.



Mais um puzzle concluído na biblioteca com entusiasmo. Nada melhor para descontrair por uns bocadinhos.






E, a propósito do Dia da Alimentação que se comemora amanhã:

"Existem alimentos prejudiciais à saúde?

Sim. Já pensaste porque é que os doces, as batatas fritas, o chocolate e os bolos não fazem parte de nenhum grupo da roda de alimentos?! Porque são ricos em gorduras, açúcar e sal, ou seja, tudo aquilo que o nosso corpo precisa em quantidades muito reduzidas.

Claro que podemos comer estes alimentos, mas não devemos abusar."



in, "Tu és aquilo que comes", coleção Superadolescente, Porto Editora

Formação de utilizadores


A coordenadora, Professora Filomena Andrade, apresentou a biblioteca aos alunos do 5º A e B, dando a conhecer melhor o seu espaço,os recursos, a forma como está organizada e o seu modo de funcionamento. 
Foram também explicadas as regras essenciais a respeitar na sua utilização.




Os alunos visualizaram um pequeno filme ilustrativo da organização dos livros nas estantes, por categorias, com base na Classificação Decimal Universal (CDU).


Escolheram um livro para catalogar, para consolidar melhor a aprendizagem.








Sejam muito Bem Vindos à Biblioteca!

"Miúdos a Votos"


Já podes participar em «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?», uma iniciativa da VISÃO Júnior e da Rede de Bibliotecas Escolares que cruza cidadania e literacia.

«Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes» desenrola-se durante todo o ano letivo (ver calendário) e qualquer escola, pública ou privada, com turmas entre o 1.º e 12.º ano, pode concorrer. 
O regulamento pode ser consultado aqui.


A primeira tarefa que te será pedida é que apresentes a candidatura do livro que mais gostaste de ler até hoje, preenchendo o formulário que está já está disponível em  http://bit.ly/2oZ2cuu.


Alimentação -Tu és aquilo que comes!


Na biblioteca encontras livros interessantes sobre o tema, para te ajudar a elaborar os trabalhos solicitados nas aulas.



"O teu corpo é uma máquina fascinante, mas extremamente complicada que, ao contrário das máquinas elétricas, eletrónicas, ou outras, nunca tem períodos de descanso. Mesmo quando dormes, o coração bate, os pulmões respiram e o cérebro funciona.
Por vezes, as pessoas dizem-te que tens de comer certas coisas para cresceres e seres forte. É verdade, pois a alimentação é o fator que mais influencia a saúde e a duração da tua vida.

Por vezes, quando não comes, sentes-te fraco, porque o teu corpo deixou de ter energia.

Sem alimentos em quantidade suficiente, morre-se cedo, porque o organismo não se desenvolve corretamente, adoece com facilidade, possui pouca capacidade para o trabalho físico e, intelectualmente, é-se limitado.

No entanto, comer bem, também não é comer muito, mesmo alimentos de boa qualidade.. É, sim, saber escolher e combinar os alimentos, de forma a que possas ter uma alimentação equilibrada, isto é, uma alimentação em que não existam excessos nem carências dos vários nutrientes.

Para satisfazer as suas necessidades, o teu organismo precisa dos seguintes nutrientes:

proteínas, gorduras, hidratos de carbono, sais minerais, vitaminas, fibras e água"

Fonte: Revista Nosso Amiguinho

Revista Visão Júnior-Outubro


Revista Visão Júnior de Outubro, já está disponível na Biblioteca Escolar.


National Geographic- Outubro



Revista National Geographic de Outubro,  já está disponível na Biblioteca Escolar.


"Concentramo-nos este mês na Amazónia e nas chamadas tribos incontactadas, as comunidades indígenas com escasso ou nulo contacto com o mundo moderno. São cápsulas do tempo da evolução da nossa espécie, mas carecem de protecção. O avanço desmedido da desflorestação coloca em risco as últimas tribos.."