Revista National Geographic


A revista de Junho à disposição na biblioteca.


"Na era das "fake news" e das verdades alternativas, concentrámo-nos na ciência da mentira. O que leva o ser humano a mentir e que vantagem evolutiva terá tido a mentira no percurso dos nossos antepassados?


Visitámos também as Galápagos, um dos cenários inspiradores de Darwin e um laboratório vivo de todas as mudanças em curso no nosso planeta. 


No Canadá, acompanhámos a campanha de descoberta e tratamento do mais bem conservado fóssil da América do Norte – um nodossauro que, pela aparência, parece ter caminhado ontem pelas florestas de Alberta.
Em Portugal, seguimos os passos de um projecto de conservação que procura vida onde não nos lembramos que ela existe – nos charcos temporários e permanentes. Luis Quinta Photography documentou.
Cinquenta e três anos depois da descoberta do cromeleque dos Almendres, procurámos igualmente respostas que justifiquem que o "Stonehenge português" não tenha ainda cumprido todas as expectativas científicas, pedagógicas e turísticas ao seu alcance. Gonçalo Pereira Rosa assina a crónica.
Não perca ainda uma reportagem sobre o albinismo – perturbação genética que, em alguns pontos do mundo, acarreta um duro fardo para os portadores."


https://www.facebook.com/ngportugal


.

Jornal de Letras


O jornal de 24 de maio a 6 de junho à disposição na biblioteca.

Jornal quinzenal de informação especializada que aborda de forma ligeira e opinativa as diversas áreas da cultura (literatura, teatro, cinema, música, etc.) Assuntos atuais do mundo da cultura; Avaliação dos principais acontecimentos nas várias artes (novos livros, exposições, espetáculos, etc.); Antevisão crítica dos vários acontecimentos nas diversas áreas da cultura; Entrevista a personalidades das várias áreas culturais; Destaque de livros, discos, cinema.


.

Oferta de Livros


A biblioteca agradece à professora Ana Cristina Gomes a generosa contribuição para a nossa Feira do Livro Usado.


.

Feira do Livro Usado

ilustração de Maria Rosa




A biblioteca vai realizar a Feira do Livro Usado. Dias 2, 5 e 6 de Junho.
Para tal, contamos com a vossa colaboração.
Se têm livros em casa (exceto livros escolares) e não sabem o que fazer com eles, entreguem-nos na nossa biblioteca, durante esta semana.

Os livros serão vendidos a preços simbólicos. Com o dinheiro que fizermos com a sua venda, compraremos novos livros, jogos... para a biblioteca. Aceitamos sugestões.



Novo livro na estante


"Vamos comprar um poeta"
Afonso Cruz
Caminho, 2016


Numa sociedade imaginada, o materialismo controla todos os aspetos das vidas dos seus habitantes. Todas as pessoas têm números em vez de nomes, todos os alimentos são medidos com total exatidão e até os afetos são contabilizados ao grama. E, nesta sociedade, as famílias têm artistas em vez de animais de estimação. 
A protagonista desta história escolheu ter um poeta e um poeta não sai caro nem suja muito – como acontece com os pintores ou os escultores – mas pode transformar muita coisa. A vida desta menina nunca mais será igual...
Uma história sobre a importância da Poesia, da Criatividade e da Cultura nas nossas vidas, celebrando a beleza das ideias e das ações desinteressadas.

(Editora Caminho)


.

Exposição de Trabalhos - 1ºCiclo



Joan Miró

Expressão e Educação Plástica
Coadjuvação turma 2ºB


Trabalho coordenado pelo professor Rui Lobo.




Joan Miró (1893-1983) foi um importante pintor, gravador, escultor e ceramista espanhol.
Um criador de formas, figuras coloridas, imaginárias e símbolos próprios formados por manchas e por linhas carregadas que caracterizou toda a sua obra.

Joan Miró era, diz quem o conheceu e sobre ele escreveu, na sua maioria artistas, poetas, críticos e historiadores de arte, um homem singular. Diz a sua obra, que essa singularidade se estendia, sobretudo, a tudo o que criava, deixando uma marca inconfundível na arte do século XX.


Melhores Leitores - 2º Período


1º  Ciclo

Matilde Costa
Fatima Kuneva
Kristian Vaglenov

2º Ciclo

Luka Bobul
Marta Quaresma
Alice Nené

3º Ciclo

Barbara Soares
Zeynepa
Rafaela Medina



.

Exposição de Trabalhos - EV




Trabalhos dos alunos do 5ºA elaborados nas aulas de EV, sob a coordenação da professora Elizabete Isabel.

Forum Romano





Forum Romano localizado no centro de Roma, é um fórum (praça) rectangular, circundado pelas ruínas de várias construções públicas de grande importância cultural. O principal centro comercial da Roma Imperial, este espaço era popularmente conhecido como Fórum Magno (Forum Magnum) ou, simplesmente, Fórum.
Foi durante séculos o centro da vida pública romana: o local de cerimónias triunfais e de eleições, o local onde se realizavam discursos públicos, os processos criminais, os confrontos entre gladiadores, e o centro dos assuntos comerciais. Aqui, estátuas e monumentos celebraram os grandes homens da cidade. O coração da Roma antiga, foi considerado o ponto de encontro mais conhecido do mundo, em toda a história.[1] Localizado no pequeno vale entre o monte Palatino e o monte Capitolino, o fórum é atualmente uma extensa ruína de fragmentos arquitectónicos e um sitio de escavações arqueológicas intermitente de elevada atração turística.
A maioria das estruturas arquitectónicas mais importantes da antiga cidade foram encontradas no fórum ou perto deste. Os santuários e templos do reino romano localizavam-se na parte sudeste da cidade. Dentre estes situava-se a antiga residência real, a Régia (século VIII a.C.), o Templo de Vesta (século VII a.C.) e ainda o complexo da Casa das Vestais, os quais foram reconstruídos após a ascensão de Roma Imperial.
(wikipédia)



Património cultural - Visitas


Maria Rosa, 6º Ano

"Os museus e os monumentos são lugares únicos que nos proporcionam experiências memoráveis e uma aprendizagem indispensável à formação da identidade.
Pela sua beleza e pelo seu enquadramento, pelas suas coleções e pela sua programação cultural, são espaços que transmitem valores, despertam memórias e interagem com a contemporaneidade."
http://www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/museus-e-monumentos/


Há Museus e Monumentos que podem ser visitados gratuitamente no primeiro domingo de cada mês. Descobre-os aqui


Madalena Francisco, 5º Ano



Visitas virtuais

Museus

Instituto dos Museus e Conservação  - aqui podes fazer visitas virtuais aos seguintes Museus: Museu grão Vasco, Museu Nacional de Arte Antiga, Museu Nacional de Soares dos Reis, Museu do Azulejo.
Podes ainda visitar alguns palácios: Palácio Nacional da Ajuda, Palácio Nacional de Mafra, Palácio Nacional de Queluz e Palácio Nacional de Sintra.

Museu do Louvre - visita as salas museus com exposiçõese e galerias, contemplando as fachadas do Louvre.

Museu da História Natural - permite ao visitante uma visita virtual sala por sala em todo o museu.




Capela Sistina - (para melhor fazer esta visita, carregar e mover o botão esquerdo do rato)

.




Novo livro na estante


"Zé Pedro descobre a Constituição da República Portuguesa"
Texto de Graça Alves
Ilustração de Nelson Henriques
Edição da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo


.

Parabéns ao Salvador


“A música é uma linguagem universal. Quando se canta com o coração, as pessoas compreendem. Quando é algo genuíno e não é plástico, as pessoas compreendem” 

Salvador Sobral


ilustração de Maria e Inês Rosa

O cantor português Salvador Sobral venceu a final do Festival Eurovisão da Canção disputada por 26 países em Kiev, na Ucrânia, com a música "Amar pelos dois", composta pela irmã, Luísa Sobral.

Salvador Sobral conseguiu a mais alta pontuação de sempre num Festival da Eurovisão, decidida pelo voto do público e por um júri profissional de cada um dos países participantes. 

Salvador venceu ainda o prémio artístico, pela interpretação da canção, atribuído pelos comentadores do certame, e a sua irmã, Luisa, foi distinguida pela autoria da melhor composição a concurso, atribuída pelos compositores dos outros países.


Amar pelos dois


"Se um dia alguém perguntar por mim

Diz que vivi para te amar
Antes de ti, só existi
Cansado e sem nada para dar


Meu bem, ouve as minhas preces

Peço que regresses, que me voltes a querer
Eu sei que não se ama sozinho
Talvez, devagarinho, possas voltar a aprender


Meu bem, ouve as minhas preces

Peço que regresses, que me voltes a querer
Eu sei que não se ama sozinho
Talvez, devagarinho, possas voltar a aprender


Se o teu coração não quiser ceder

Não sentir paixão, não quiser sofrer
Sem fazer planos do que virá depois
O meu coração pode amar pelos dois"


Papa Francisco em Portugal

"Gosto muito do Papa, ele é simpático e bondoso" 
Ilustração e frase de Maria Rosa, 6º Ano.

 O Papa Francisco visitou o nosso país, por ocasião da comemoração do centenário das aparições de Fátima. 
O quarto Papa a visitar Portugal apresentou-se "como peregrino", emocionando as centenas de milhares de fiéis que o receberam no santuário.

Momentos de Lazer - puzzle

Tempos livres na biblioteca.





Novos livros na estante



O autor inglês, Robert Muchamore, trabalhou durante treze anos como detetive privado, mas abandonou a profissão para se dedicar à escrita a tempo inteiro. Segundo o próprio, tenta escrever aquilo que gostaria de ter lido aos 13 anos de idade. Essa foi a principal razão para a criação da coleção CHERUB.


CHERUB é uma agência que pertence aos Serviços Secretos Britânicos (MI5). Os seus membros, os querubins,  têm entre dez e dezassete anos. Todos são órfãos recrutados em lares de acolhimento e treinados para trabalharem como agentes secretos. Estas crianças são agentes profissionais, treinados para escapar ao radar dos adultos. Afinal, a “inocência” das crianças pode ser o melhor disfarce...

CHERUB é uma das séries de livros favoritas dos jovens adolescentes.

Onde encontrar informação
O site do autor: http://www.muchamore.com/
O site inglês da coleção: http://www.cherubcampus.com
O site português: www.mundocherub.com
A página portuguesa no Facebook: www.facebook.com/mundocheruboficial




"Lobos cinzentos"

Os submarinos alemães patrulham o Atlântico Norte, afundando os navios carregados com a comida, o combustível e as armas de que a Grã-Bretanha necessita para sobreviver.

E, enquanto a Marinha Real perde a guerra no mar, seis jovens agentes terão de se infiltrar na Europa ocupada e sabotar uma base de submarinos na costa ocidental francesa. Se os submarinos não forem travados, o povo britânico morrerá à fome.
Para efeitos oficiais, estas crianças não existem.



"Vingança"
Um novo herói, uma nova missão

Fay passou 18 meses num reformatório de alta segurança e a única realidade que conhece é a do crime. Agora que está de volta às ruas, quer vingar-se de quem lhe matou a família.

Os agentes CHERUB, Ryan e Ning, precisam da ajuda de Fay para encontrar um importante criminoso. Mas os inimigos da jovem são muitos e ela é um osso duro de roer...
Depois de uma épica missão internacional no seio do clã Aramov, os agentes CHERUB enfrentam uma das aventuras mais perigosas de sempre.


"Um dia negro"
Um novo herói, uma nova missão

Ryan está prestes a embarcar num avião, sabendo que as próximas 24 horas serão críticas. A sua missão: travar o maior ataque terrorista da história dos EUA.
Ryan trabalha para a CHERUB, uma organização secreta com uma vantagem fundamental: nem os criminosos mais experientes suspeitam que crianças os possam vigiar.
Para efeitos oficiais, estas crianças não existem.







Oferta


Agradecemos à nossa querida aluna Keshi e a seus familiares, a oferta destes livros.
Uma coleção muito apreciada por alguns leitores.

Porquê um Dia da Europa?

Todos os anos, no Dia da Europa, que se comemora a 9 de maio, festeja-se a paz e a unidade do continente europeu. Esta data assinala o aniversário da histórica «Declaração Schuman». Num discurso proferido em Paris, em 1950, Robert Schuman, o então Ministro dos Negócios Estrangeiros francês, expôs a sua visão de uma nova forma de cooperação política na Europa, que tornaria impensável a eclosão de uma guerra entre países europeus.
A sua visão passava pela criação de uma instituição europeia encarregada de gerir em comum a produção do carvão e do aço. Menos de um ano mais tarde, era assinado um tratado que criava uma entidade com essas funções. Considera-se que a União Europeia atual teve início com a proposta de Schuman.

A UE é identificada por uma série de símbolos, sendo o mais conhecido de todos um círculo de estrelas amarelas num fundo azul.


Beatriz Martins, 6º Ano

A bandeira europeia é o símbolo da União Europeia e da unidade e identidade da Europa numa aceção mais lata.
É constituída por doze estrelas douradas dispostas em círculo sobre um fundo azul, que simbolizam os ideais de unidade, solidariedade e harmonia entre os povos da Europa.
O número de estrelas não está relacionado com o número de países da UE. O círculo é um símbolo de unidade.


Madalena Francisco, 5º Ano

A melodia escolhida para simbolizar a UE é o «Hino à Alegria», composto por Ludwig Van Beethoven em 1823, enquanto parte da Nona Sinfonia, para o poema com o mesmo nome de Friedrich Schiller, de 1785.
Este hino simboliza não só a União Europeia, mas também a Europa num sentido mais lato. O poema «Hino à Alegria» evoca o ideal da fraternidade de Schiller, partilhado por Beethoven.
Em 1972, o Conselho da Europa adotou o «Hino à Alegria» de Beethoven como o hino desta organização. Em 1985, foi a vez dos dirigentes europeus de também o adotarem como hino oficial da União Europeia. O hino, que não tem letra, utiliza a linguagem universal da música para exaltar os ideais europeus da liberdade, paz e solidariedade.

À Descoberta da Europa




Exposição de banda desenhada do artista belga, Will. 

Pequenas histórias que ilustram, com humor, factos, lugares-comuns, de alguns países europeus.



"Um dos grandes trunfos da Europa reside na sua grande riqueza de culturas, de tradições e línguas."



ilustração de Abril Neto, 7º Ano

.

Jornal de Letras


O Jornal de 26 de abril a 9 de maio, à disposição na biblioteca.

Revista National Geographic - Maio




"O que torna um indivíduo genial? Analisamos génios modernos e antigos e procuramos pistas em comum.
Viajamos para o Egipto e acompanhamos as escavações sobre Akhenaton, o pai de Tutankhamon.
Nos Açores, um inovador projecto de mapeamento de destroços submarinos promete mudar a forma como a arqueologia subaquática opera.
Isto, e muito mais, na sua edição de Maio."
(Revista National Geographic)

A revista está à disposição na biblioteca.

"Diogo Piçarra em Pessoa" - Sinopse do livro





A obra de Fernando Pessoa é um património valioso da cultura literária portuguesa. Lê-la, estudá-la e interpretá-la é um desafio exigente e aliciante, que te é lançado pelos teus docentes durante o percurso escolar. Neste livro, Diogo Piçarra vai mais além e lança-te um repto diferente: uma abordagem ímpar à obra de Pessoa. 

Numa procura incessante de auto e heteroconhecimento, Diogo encontra-se em Pessoa, selecionando e reconstruindo 20 dos seus poemas, revisitando, igualmente, a sua heteronímia (Álvaro de Campos, Alberto Caeiro e Ricardo Reis). Fá-lo tendo como alicerce as próprias vivências e, tal como Pessoa, torna-se plural, revelando três dos seus heterónimos e respetivas histórias de vida (Luna Thea, Walter Ego e Ingenuo Garcia). Estes, ao longo do livro, confrontam-se com os heterónimos de Pessoa, resultando desse confronto a edificação de diálogos estimulantes, acompanhados por ilustrações interpretativas, que te auxiliarão na descoberta e análise da obra de Pessoa. 


No livro encontrarás espaços de criação, que o Diogo Piçarra libertou para que possas também executar este exercício de reconstrução da obra pessoana. Assim o faz, na expectativa de que também tu te encontres em Pessoa.

(universalmusic.pt)

Novos livros na estante






“Diogo Piçarra em Pessoa” é um projeto criativo de descoberta, reinvenção e reconstrução da obra de Fernando Pessoa e seus heterónimos, da autoria do músico Diogo Piçarra.
O projecto destina-se a alunos do 7.º ao 12.º anos de escolaridade e inclui a edição de um livro, a exibição de uma peça de teatro e a adaptação musical de poemas.
No livro, com o mesmo nome do projeto, Piçarra reinventa-se em Pessoa e na sua heteronímia, apresentando uma reconstrução de 20 poemas pessoanos, tendo por base as suas próprias vivências e as vivências dos seus próprios heterónimos, concebidos para o efeito.
O livro tem uma natureza interativa, onde o leitor é desafiado a criar a sua própria versão dos poemas de Fernando Pessoa e a construir a biografia dos seus heterónimos. Cada poema apresentado no livro é também representado por ilustrações simples, que acompanharão o leitor na interpretação e análise da obra de Pessoa.
A dramatização dos poemas constantes no livro resulta na montagem e exibição de uma peça de teatro, onde Pessoa e Piçarra (e respetivos heterónimos) se confrontam, em diálogos complexos, mas entusiasmantes, sobre as suas perceções da vida.
O projecto também incluiu a adaptação musical de dois poemas do livro: um poema de Fernando Pessoa e a reconstrução do mesmo feita pelo Diogo Piçarra.
O público-alvo de “Diogo Piçarra em Pessoa” são os alunos do 7.º ao 12.º anos de escolaridade, sendo que os três elementos do projeto (livro, peça de teatro e performance musical) podem ser apresentados e promovidos por escolas públicas e privadas, câmaras municipais, associações ou outras instituições de cariz educativo que trabalhem direta ou indiretamente com este público-alvo.
Este projeto foi desenvolvido numa parceria entre Diogo Piçarra e a empresa Betweien, Spinoff da Universidade do Minho, especializada na área da educação, com vários anos de experiência na conceção e implementação de projetos inovadores em todo o país.

Fonte: universalmusic.pt