Ode à Poesia - Miguel Torga

 




 
"Vou de comboio...
Vou
Mecanizado e duro como sou
Neste dia, E mesmo assim tu vens, tu me visitas!
Tu ranges nestes ferros e palpitas
Dentro de mim, Poesia!

Vão homens a meu lado distraídos
Da sua condição de almas penadas;
Vão outros à janela, diluídos
Nas paisagens passadas...
E porque hei-de ter eu nos meus sentidos
As tuas formas brancas e aladas?

Os campos, imprecisos, nos meus olhos,
Vão de braços abertos às montanhas;
O mar protesta contra não sei quê;
E eu, movido por ti, por tuas manhas,
A sonhar um painel que se não vê!
Porque me tocas? Porque me destinas
Este cilício vivo de cantar?
Porque hei-de eu padecer e ter matinas
Sem sequer acordar?
Porque há-de a tua voz chamar a estrela
Onde descansa e dorme a minha lira?
Que razão te dei eu
Para que a um gesto teu
A harmonia me fira?

Poeta sou e a ti me escravizei,
Incapaz de fugir ao meu destino.
Mas, se todo me dei,
Porque não há-de haver na tua lei
O lugar do menino
Que a fazer versos e a crescer fiquei?

Tanto me apetecia agora ser
Alguém que não cantasse nem sentisse!
Alguém que visse padecer,
E não visse...

Alguém que fosse pelo dia fora
Neutro como um rapaz
Que come e bebe a cada hora
Sem saber o que faz...

Alguém que não tivesse sentimentos,
Pressentimentos,
E coisas de escrever e de exprimir...
Alguém que se deitasse
No banco mais comprido que vagasse,
E pudesse dormir...

Mas eu sei que não posso.
Sei que sou todo vosso,
Ritmos, imagens, emoções!
Sei que serve quem ama,
E que eu jurei amor à minha dama,
À mágica senhora das paixões.

Musa bela, terrível e sagrada,
Imaculada Deusa do condão:
Aqui vou de longada;
Mas aqui estou, e aqui serás louvada,
Se aqui mesmo me obriga a tua mão!"
 
Portal da Literatura
 
Ilustração, Paolo Domeniconi
"Na madrugada do 25 de Abril de 1974, estalou uma revolução que derrubou o governo, com o objectivo de implantar a democracia. Esta data representou  uma viragem decisiva na História de Portugal e abriu caminho a mudanças muito profundas na vida dos portugueses.

A revolução foi saudada nas ruas com grandes manifestações de alegria porque há muito que a população ansiava pela liberdade."

in, "25 de Abril", Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada





Na biblioteca, tens vários livros de leitura muito acessível, que te levarão a compreender melhor esta revolução.

ilust. Diogo Vicente, 5ºA

"O soldado agradeceu
com o rosto iluminado
levantou bem alto o cravo
no seu tanque engalanado"

"Era uma vez um cravo" de José Jorge Letria


Raquel Gonçalves, 5ºB


O que é uma árvore?

Rodrigo, 5ºA
As "plantas" primitivas eram tão pequenas que seriam precisas dúzias para preencher uma cabeça de alfinete. Estas minúsculas células viviam nos aceanos e a única prova de que eram plantas era o facto de crescerem pela acção da luz do sol. Todo o reino das plantas evoluiu destes humildes primórdios.

Muitas plantas ficaram na água, mas outras colonizaram a terra, e, para o fazerem com sucesso, necessitaram de um modo de sustentação. Algumas acabaram de desenvolver um material, a lenhina, que fez com que tivessem caules duros e de madeira, que possibilitaram o crescimento em altura.




Como as plantas precisam de luz, as mais altas viviam melhor que as menores, que tinham de sobreviver na sombra.

Apareceram as plantas com um único caule gigante: as primeiras árvores. Evoluíram desde então, em diferentes famílias de plantas. As maiores, as sequóias gigantes da Califórnia, podem pesar mais de 6000 mil toneladas, sendo os seres vivos mais pesados que alguma vez existiram na terra.

in Enciclopédia Visual "Árvores", Verbo


Árvore Nova


Pequenas ações, Grandes mudanças.
         


Foi com muito entusiasmo que o Clube do Ambiente plantou mais uma árvore no jardim da escola. O momento, mais que solene, foi possível graças à Câmara Municipal, que forneceu a árvore, e à ajuda preciosa do Rafael, que está sempre em primeira linha nestas lides. 
O coordenador do clube, Prof. António Gomes.
Esperamos que a cuidem como deve ser. O jardim ficou ainda mais bonito.

O que sentes ao plantar uma árvore?

"Sinto que estou a salvar o planeta", Tony
"Sinto que estou a criar um ser vivo", Guilherme
"Sinto alegria, é como se estivessemos a criar um novo ser", Carlota, Ana Rita

Como plantar uma Árvore

Abrir uma cova, separando em dois montes a terra do fundo e da superfície.
No momento de plantar, lançar no fundo da cova uma pequena quantidade de adubo ou na falta deste, mato cortado.
Cobrir com terra da superfície, formando um pequeno monte no centro da cova.
Distribuir sobre o monte as raízes da árvore, sem alterar a sua posição natural.
Aparar as raízes partidas ou estragadas.
Cobrir com a terra da superfície e encher a cova com a terra do fundo.
Aconchegar a terra e regar abundantemente.


Como semear uma Árvore

Fazer 5 furos na base de um copo de iogurte.
Colocar algumas pedras no fundo.
Encher metade do copo com terra e colocar as sementes.
Cobrir as sementes com terra e colocar o recipiente num local com pouca luz
Regar frequentemente de forma a que a terra esteja sempre húmida.
Nesse momento colocar os copos com os rebentos junto a uma janela.
Quando os rebentos tiverem alguns centímetros de altura poderão ser colocados no exterior. Nesse momento retirar a nova árvore do copo e colocar na terra, tendo o cuidado de não retirar a terra que está agarrada às raízes.

Fonte:  http://arvore.centenariorepublica.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=7&Itemid=7

Primavera - Ilustrações e Poemas


"Olhos postos na terra, tu virás
   no ritmo da própria Primavera,
e como as flores e os animais
            abrirás as mãos de quem te espera."

Eugénio de Andrade

desenho da Isaura



"Depois do Inverno, morte figurada
A Primavera, uma assunção de flores.
A vida
Renascida 
E celebrada
Num festival de pétalas e flores."

Miguel Torga

desenho do Ruben
              
                  desenho da Daniela


desenho da Ana Raquel 



"Está-se a Primavera trasladando
em vossa vista deleitosa e honesta;
nas lindas faces, olhos, boca e testa,
boninas, lírios, rosas debuxando.

De sorte, vosso gesto matizando,
natura quanto pode manifesta
que o monte, o campo, o rio e a floresta
se estão de vós, Senhora, namorando.

Se agora não quereis que quem vos ama
possa colher o fruito destas flores,
perderão toda a graça vossos olhos.

Porque pouco aproveita, linda Dama,
que semeasse Amor em vós amores,
se vossa condição produze abrolhos."


Luís Vaz de Camões


Exposição de trabalhos - 7º ano



No âmbito da Semana da Leitura, foram expostos, na biblioteca, os trabalhos de expressão escrita dos alunos do 7º ano. Orientação da Profª Carminda Afonso.
Temas: Entrevista, Retrato, Carta, Recolha de Lendas.

Destacamos alguns


    






Expressão Musical e Leituras

 Alunos do 1º, 3 ºe 4º anos, 6ºC, e alguns colaboradores da biblioteca, juntos, em convívio muito agradável e enriquecedor, partilhando melodias, cantigas e leituras.

 Coordenação musical pela Profª Sandra Jesus.

O 4º ano, da responsabilidade da Profª Milene.



O 1º ano, da responsabilidade da Profª Idalécia.




O 3º ano, da da responsabilidade da Profª Maria José.




Os alunos do 6ºC.




Poemas em Língua Estrangeira

Semana da Leitura - Dia da Poesia
Poemas em Francês e Espanhol foram recitados pelos alunos do 8º ano, na biblioteca e em salas de aula.
Coordenação das professoras, Gilda Almeida (Francês) e Patrícia Afonso (Espanhol).









Expressão Musical e Leituras

Juntaram-se os alunos do 8ºD e os do 2º ano, para partilharem leituras e canções.
A coordenação musical, pela Profª Sandra Jesus.
 
Foram ainda distribuídas aos mais novos, bolsas para os livros, "Leituras vai e vem", e a coordenadora da biblioteca, Profª Filomena, ainda esclareceu sobre algumas normas de procedimento relativas à requisição domiciliária.
 
Os meninos da Profª Ângela estiveram muito descontraídos perante a plateia, e cantaram com muita graciosidade  e entusiasmo.
 












Expressão Musical e Leituras







 Leituras em voz alta.


Apresentação de peças musicais pelos alunos do 5ºC.
Leituras esporádicas.
 
No âmbito das Atividades Enriquecedoras Curriculares, os alunos do 2º e 3º anos, da responsabilidade da Profª Leontina, vieram à biblioteca partilhar canções e alegria.
 
 Coordenação musical a cargo da Profª. Sandra Jesus.