Construíndo puzzles ao longo do ano letivo



Um dos passatempos preferidos em todo o mundo e em todas as idades.

Além do entretenimento, os puzzles ajudam a desenvolver capacidades importantes, em qualquer pessoa.
Estes jogos de paciência são recomendados para estimular a observação, comparação, concentração, criatividade e perícia. São também um bom treino da memória visual.

 Uma vez que podem ser resolvidos em grupo, as capacidades sociais e linguísticas também são beneficiadas.
 Cada peça colocada desencadeia orgulho e confiança. Uma sensação de desafio superado.
A resolução do puzzle faz melhorar a auto-estima.





Ao longo do ano letivo, a biblioteca desafiou os seus visitantes a construir os dois puzzles, um de 1000 peças e outro de 1500. Por vezes desesperava-se, pela complexidade das ilustrações, mas logo o entusiasmo rapidamente voltava (bastava ouvir alguém dizer, todo contente, que tinha posto mais uma peça), e, com muita paciência e colaboração, lá se conseguiram resolver. Por fim todos os contemplavam e acariciavam. O difícil foi mesmo voltar a desmanchá-los. 





Melhores Leitores - 3º Período


Leitura Domiciliária

Rodrigo Afonso, 5ºA
Bárbara Soares, 5ºB
Ana Raquel Nascimento, 6ºB

Leitura Presencial

Afonso Correia, 8ºC
Diogo Lourenço, 7ºE
Luís Parra, 7ºE
Beatriz Rosa, 8ºC
Mariana Conduto, 8ºC
Marta Pena, 8ºC
Rosana Sousa, 8ºC

Parabéns a todos os alunos leitores, e não apenas aos mencionados. 

Pintura de José de Almada Negreiros


"Quem descobre o prazer da leitura nunca mais pára de ler. Pode até ler um, dois, três ou mais livros em simultâneo.
Lê apenas pelo gosto de ler."



"Ler por prazer é abrir a janela para o mundo. É deixar-se transportar para o desconhecido, uma realidade cheia de descobertas, mistério, magia, encantamento e diversão, criando uma cumplicidade que só o prazer da leitura pode proporcionar.
Ler por prazer é conhecer o Eu, o Outro e o Mundo. É sentir e desfrutar das coisas e das pessoas, dos olhares e dos gestos, das emoções e dos sentimentos, das paisagens e dos lugares, da vida e do mundo.
Ler por prazer é a busca do belo, do misterioso e de momentos de fruição."
(Sofia Pereira in, Revista Fábulas)

Palavras do Mundo em Cartaz


O concurso promovido pelo Plano Nacional de Leitura decorreu no âmbito da 9ª edição da Semana da Leitura 2015, abrangendo os alunos dos diferentes ciclos, do pré-escolar ao secundário.

 O tema: "Palavras do Mundo" constituiu um desafio à criatividade, na criação de cartazes originais decorrentes de leituras livremente realizadas."


Divulgamos o trabalho concorrente, criado pela aluna do 9º ano, Mariana Correia, inspirado no livro "Aventuras de João Sem Medo", de José Gomes Ferreira.
Uma obra recomendada pelo PNL para o 3º ciclo.

Felicitamo-la pela sensibilidade na escolha do tema e encanto da ilustração.


Os trabalhos vencedores do concurso:  aqui


Eu, de férias...

Desenhos do Mês - Junho

A Arte espelha vontades, sentimentos e o mundo que nos rodeia. 
Cada desenho é único e belo. 
Parabéns a todos os ilustradores.


Clicar nas imagens





 

Cubo Mágico - Cubo de Rubik


O João, aluno do 8º ano, demonstrou e explicou, na biblioteca, como se resolve, passo a passo, o complexo e fascinante puzzle tridimensional. 
A curiosidade foi tanta que não descansou enquanto não percebeu o seu segredo matemático. 
Os alunos que assistiram ficaram muito curiosos. Quiçá se possa um dia organizar uma espécie de dasafio para apurar quem o resolve em menos tempo. Seria interessante.


"Invenção do húngaro Erno Rubik, o primeiro Cubo foi criado em 1974, após alguns anos de preparação. Rubik era um apreciador de puzzles e queria construir um que fosse tridimensional e que constituísse um desafio maior do que aqueles que existiam até à data. 

Depois de ter conseguido inventar o cubo que viria a ter o seu nome, apresentou-o aos seus alunos, na Academia de Arts and Crafts de Budapeste, constatando que provocava um efeito de entusiasmo viciante. Meses mais tarde, foi lançada a ideia de reproduzir o cubo para ser vendido por toda a Hungria. Foi um processo moroso devido aos custos que tal empreendimento suscitava tendo vindo a concretizar-se três anos mais tarde, em 1977.

O Cubo de Rubik fascinou Tibor Laczi, um húngaro empregado numa empresa de informática alemã, que o levou à Feira de Brinquedos de Nürnberg na tentativa de arranjar um distribuidor alemão para o invento. Foi Tom Kremer, um famoso inventor de jogos e brinquedos também com ligações familiares à Hungria, quem se interessou pelo Cubo e quem mais contribuiu para o seu lançamento fora das fronteiras da Hungria. 

A estreia internacional do Cubo deu-se em 1980 nas Feiras de Brinquedos de Londres, de Paris, de Nürnberg e de Nova Iorque, com o próprio Erno Rubik a fazer a demonstração. O impacto foi tal que as ofertas não chegaram para as encomendas. O auge de aceitação deste puzzle tridimensional deu-se em 1981, e a sua produção expandiu-se da Hungria para outros países.


A aceitação universal deste invento deu-se essencialmente entre jovens estudantes, que organizaram clubes e competições. Pela dificuldade em solucionar um puzzle como o Cubo, foram publicados vários livros de estratégias. 


Em 1980 o Cubo de Rubrik recebeu prémios como o de melhor invenção da Hungria, o de melhor brinquedo na Alemanha, na França, na Inglaterra e nos Estados Unidos da América. Foi exposto no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque em 1981."

in Língua Portuguesa com Acordo Ortográfico [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2015. [consult. 2015-06-19 15:58:08]. Disponível na Internet: 

Exposição - Pintura

Exposição na BE de alguns trabalhos da disciplina de pintura do 7º ano. 
Coordenação da Professora Célia Martins.


Colaboradores da BE

No último dia de aulas, decorreu mais uma entrega de diplomas, pela coordenadora da BE, aos alunos que participaram ativamente na Semana da Leitura. Parabéns a todos.


 




QR codes - acesso virtual à biblioteca

 

A escola está a acompanhar as Novas Tecnologias.
O projeto, com aplicações que permitem aceder de imediato a diversos serviços, foi realizado na disciplina de TIC, com o 8º ano, e coordenado pela Professora Cláudia Teixeira.


 QR code ou código QR (sigla do inglês - Quick Response, que significa resposta rápida), é um código de barras bidimensional que é rapidamente interpretado pelos equipamentos de leitura, com aplicação específica, nomeadamente smartphones.

Estes códigos têm a particularidade de armazenar centenas de vezes mais dados que os tradicionais códigos de barras.

Os QR codes da biblioteca foram realizados pelas alunas do 8ºC, Mariana Conduto, Márcia Rosa e Catarina Guerreiro.
A biblioteca ganhou uma nova e útil ferramenta.

O projeto estendeu-se a outros setores da escola.

I Concurso de Leitura - RBE do Baixo Guadiana

 É com especial prazer que felicitamos, também por este meio, e para que todos nos orgulhemos, o grande vencedor deste concurso, o nosso aluno do 7º ano, Luís Parra.
 
Esta 1ª edição do concurso realizou-se na Biblioteca Municipal Vicente Campinas, no passado dia 9 de junho, e envolveu as Bibliotecas Escolares das escolas de Martinlongo, Alcoutim, Castro Marim, Monte Gordo, Vila Real António e Vila Nova de Cacela.
Da nossa escola ainda concorreram os alunos Ana Rita Aires e Roberto Rodrigues, os quais felicitamos pela honrosa participação. Foi com certeza uma experiência enriquecedora para ambos.


 No 2º lugar calssificou-se Carolina Rosa, aluna da E.B. 2,3 de Montegordo e no 3º lugar, Augusto Menezes, que representou a Escola Secundária de Vila Real de Santo António.
 


Os prémios foram patrocinados pela Biblioteca Municipal Vicente Campinas e pela Câmara Municipal de VRSA.
Os alunos receberam, ainda, lembranças da RBE e da DREducação.


O Juri do Concurso foi constituido pela Dr.ª Graça Lobo, representante da Direção Regional de Educação,  pela Dr.ª Anabela Batista, representante da Rede de Bibliotecas Escolares; pela Dr.ª Mariana Rego, representante da Biblioteca Municipal de Vila Real de Santo António, pela Dr.ª Neuza Firmino, representante da Biblioteca Municipal de Castro Marim e por José Estevão Cruz, escritor, natural da cidade do marquês de Pombal. (livrosietc. blogspot.pt)

Teatrinho na biblioteca - O capuchinho de neve


 Uma história inspirada em dois contos clássicos, criativamente inventada e dramatizada por um grupo de alunos do 5º ano.




Um divertido e sério trabalho de equipa, muito elogiado pelos colegas e professores que o presenciaram. Uma alegria contagiante.