Visita de Estudo- CEF- Operador Agrícola

"A turma CEF - Operador Agrícola realizou uma visita de estudo, no dia 26 de novembro de 2014, às instalações do Regimento de Infantaria nº 1 de Tavira. 
Com esta visita os alunos puderam perceber o funcionamento da instituição, forma de ingressar na vida militar e ter conhecimento das regras e normas de conduta e princípios pelos quais esta instituição se rege. A atividade decorreu de forma muito satisfatória!"

Professora Jacinta Afonso





"Vamos dar vida aos resíduos" Algar - 8º ano


 "As turmas do 8ºC e 8ºD encontram-se a participar no concurso "Vamos dar vida aos resíduos" da Algar, no âmbito da disciplina de Ciências Naturais. Este concurso, visa consciencializar a comunidade escolar sobre a importância da separação dos resíduos e respetivo encaminhamento. Foram já criadas as Brigadas da Reciclagem com os alunos destas duas turma, os quais terão como principal missão fiscalizar o comportamento dos colegas e por em prática sessões de sensibilização." 

Professora Jacinta Afonso



Projeto SOBE - Sugestão 1º ciclo



"Os conceitos de Saúde Oral podem ser reforçados de diversas formas, nas diferentes áreas dos currículos escolares.
A educação para a saúde é mais eficaz quando é integrada nas atividades normais da sala de aula em vez de ser apresentada em fragmentos ou mencionada por profissionais da saúde oral."





Sugestão baseada na utilização do livro e das suas componentes relacionadas com a leitura e a escrita:

Criar um projeto semelhante ao do livro.


"Um dia, a Maria, a menina do sorriso de mil cores, sentiu um dente a abanar...preocupada, mostrou à mãe o seu dentinho a dançar..."

O livro existe na biblioteca


Concurso "Uma aventura...Literária 2015" - regulamento

O concurso com cinco modalidades: Texto original; Crítica; Desenho; Teatro e Olímpíadas da História.

Os trabalhos podem ser individuais ou em grupo.
O prazo de entrega é 16 de fevereiro.
Na biblioteca encontras a maior parte dos livros propostos para o concurso.

Informem-se com os vossos professores de Português.


Consulta o regulamento, clicando no link: Uma Aventura Literária 2015

Mapas de Ideias - Eleições na BE

Decorre, até 28 de novembro, a eleição do Cartaz e Lema da Biblioteca 2014-2015.
Alunos, professores e funcionários estão convidados a apreciar as criações artísticas, e a votar nos trabalhos preferidos.


Os cartazes foram criados pelos alunos do 6º ano, nas aulas de EVT, sob a orientação da professora Elizabete Isabel.
As técnicas usadas: pintura e técnica mista.


A atividade está inserida nas comemorações do Mês das Bibliotecas Escolares (outubro).






As frases selecionadas, criadas pelos alunos que aderiram ao desafio da biblioteca.


Antes de ter acesso ao papelinho, convêm não esquecer o número do eleito.




A química das folhas de outono

Neuza D. 
No outono, as folhas das árvores abandonam o verde e brindam-nos com uma bela paleta de amarelos e castanhos, a que se juntam tons laranja, vermelho e roxo. E a química explica porquê!

A cor verde das folhas deve-se ao pigmento clorofila.
A clorofila não é uma molécula estável e tem de ser continuamente sintetizada pelas plantas, o que exige sol e calor.
Com o outono, chegam os dias de frio e de pouca luz.
A paleta de cores do outono é muito dependente do estado do tempo. As baixas temperaturas e a fraca luz do sol destroem a clorofila ao mesmo tempo que promovem a formação de antocianinas, que por sua vez também depende da concentração de açúcares nas folhas, a qual aumenta com o tempo seco.

Por outras palavras, as cores mais brilhantes de outono são obtidas com dias secos e ensolarados seguidos de noites frias!
E assim mostrámos como a beleza do outono é também a beleza da Química!

Fonte:http://www.aquimicadascoisas.org/?episodio=a-qu%C3%ADmica-das-cores-de-outono

Autor em Destaque - Manuel António Pina


O Jornalista e escritor, nasceu a 18 de novembro de 1943, no Sabugal, e faleceu a 19 de outubro de 2012, no Porto. 

Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, em 1971, exerceu a advocacia e foi técnico de publicidade. Abraçou a carreira de jornalista no Jornal de Notícias, onde passou a editor. A sua colaboração nos "media" também se distribui pela rádio e pela televisão.





Autor de livros para a infância e juventude e de textos poéticos, a sua obra apresenta uma grande coesão estrutural e reflete uma grande criatividade, exige do leitor um profundo sentido crítico e descodificador.

"Brincando" com as palavras e os conceitos, num verdadeiro trocadilho, Manuel António Pina faz da sua obra um permanente "jogo de imaginação", tal labirinto que obriga a um verdadeiro trabalho de desconstrução para se encontrar a saída.

Transmissora de valores, muita da sua obra infantil e juvenil é selecionada para fazer parte dos manuais escolares, sendo também integrada em antologias portuguesas e espanholas.


Os seus textos dramáticos são frequentemente representados por grupos e companhias de teatro de todo o país e a sua ficção tem constituído o suporte de alguns programas de entretenimento televisivo, de que é exemplo a série infantil de doze episódios Histórias com Pés e Cabeça, 1979/80.

Como escritor, é autor de vários títulos de poesia, novelas, textos dramáticos e ensaios.

A sua obra tem merecido, frequentemente, destaque, tendo sido já homenageado com diversos prémios, um dos quais o Prémio Camões 2011, o mais importante galardão de Língua Portuguesa.
Fonte: Infopédia.pt



                              
Atividades com o objetivo de melhor conhecer o autor e as suas histórias.




Nova Horta do CEF

"No presente ano letivo, a turma CEF - Operador Agrícola, iniciou mais um ano de trabalho na sua horta Cefiana. 


 Foram feitos 13 talhões, um para cada aluno, sendo que cada um deles será responsável pelas suas hortícolas. 


Neste momento, os alunos encontram-se a plantar couve portuguesa, cebolas, brócolos .. e a semear favas, ervilhas, rabanetes e algumas ervas aromáticas (salsa, coentros ...). 


Este será mais um ano de trabalho agrícola proveitoso!!"

(Professora Jacinta Afonso)




Higiene Oral

Decorreram na nossa escola sessões sobre higiene oral  "Por uma boca saudável", com a intervenção da higienista oral, Dra Isabel Palma, do Centro de Saúde de VRSA.


Com estas, os alunos puderam aprender a usar corretamente o fio dentário, a fazer um correta escovagem, e a perceber o processo de formação da cárie dentária. Além disso, relembraram os principais alimentos responsáveis pela formação de cáries, e foi focada a importância da moderação do consumo destes mesmos alimentos.

 As sessões inserem-se no Plano Anual de Atividades do GAAF.
(Professora Jacinta Afonso)


 



                          


Sessão de Cinema


O filme "Nascidos para voar", do realizador Tony Bill, foi o filme visionado na biblioteca, pelas duas turmas do 9º ano. 

Os alunos estiveram acompanhados pela sua professora de História, Lurdes Moedas.



 A história épica de alguns jovens americanos que se ofereceram como voluntários ao exército francês, durante a I Guerra Mundial, e se tornaram os primeiros pilotos aviadores da emblemática Esquadrilha Lafayette.


Quadras de S. Martinho - Concurso




"No dia de S. Martinho
Vou comer castanhas assadas.
Só não posso beber vinho
Bebo água e limonada."
Ariana Luís


"Com a chegada de Novembro
Recordamos S. Martinho
Um punhado de castanhas,
E fica o coração quentinho"
Martin




"Hoje é dia de comer castanhas.
Chegou o S. Martinho,
Comem-se assadas e cozidas.
Do Algarve até ao Minho." 
Irís Gonçalves





"Com as folhas a cair
 E o Outono a chegar
 Vamos todos sorrir
 E o magusto celebrar "
Afonso Mestre


"Magusto é no S. Martinho
 Vamos todos festejar
 Com castanhas, pão e vinho
 Temos o Outono a chegar!"
 David Serafim




"S. Martinho está a chegar,
 As castanhas por assar
 E nós todos a festejar
 Porque a alegria está no ar!"
 Carlota Drago


"Como é bom comer
 Castanhas assadas
 E no magusto ver
 As meninas coradas!"
João Beldade



1º 
"Em Novembro é a data
Que o milagre aconteceu
S. Martinho cortou a capa
E o Sol apareceu"
Matilde Francisco

"Eu adoro castanha assada
Mas não gosto do vinho
Mesmo assim vou agasalhada
Para o dia de S. Martinho."
Ana Barão




"É dia de S. Martinho
Dia de grande diversão
Há vinho novo fresquinho
Castanha assada e animação"
 Sara Martins


"Viva o S. Martinho
Tempo de harmonia
Vamos beber vinho 
E rir de alegria"
Marta Santos




"Ao magusto vamos todos
S. Martinho festejar
Comer castanhas assadas
E brincar até fartar."
Conceição Bandarra



"S. Martinho vem de longe
Com a cara afogueada
Bebeu um copo de vinho
Não pôde beber mais nada."
Maria Eugénia Isabel



"Num dia de S. Martinho
Sem o sol e calorzinho
O que vale são as castanhas
A assar no meu forninho."
Teresa Grilo


"Meu querido S. Martinho
Vem abençoar a nossa escola
Mas, em vez dum copo de vinho
Traz-nos antes coca-cola."
Mafalda Cavaco


"A professora Filomena
Pediu-me que fizesse um versinho
Que falasse em castanhas
Água-pé e vinho."
Eduarda Silva


S. Martinho, pelo pintor Gustave Moreau, 1882

São Martinho, ou Martinho de Tours, nasceu em cerca de 316 na antiga cidade de Savaria na Panónia, uma antiga província na fronteira do Império Romano, na atual Hungria. Filho de um comandante romano, cresceu na região de Pavia, em Itália, no seio de uma família pagã.

Criado para seguir a carreira militar, foi convocado para o exército romano quando tinha quinze anos, viajando por todo o Império Romano do Ocidente.

Apesar de ter recebido uma educação pagã, foi em adolescente que Martinho descobriu o Cristianismo. Mas foi só mais tarde, em 356, depois de ter abandonado o exército que foi batizado. Tornou-se discípulo de Santo Hilário, bispo de Poitiers (na zona oeste da atual França), que o ordenou diácono e presbítero, regressando de seguida a Panónia, onde converteu a mãe.

Mudou-se depois para Milão, de onde terá sido expulso juntamente com Santo Hilário. Isolado, terá passado algum tempo na ilha da Galinária, ao largo da costa italiana. De volta à Gália, foi perto de Poitiers que fundou o mais antigo mosteiro conhecido na Europa, na região de Ligugé.

Conhecido pelos seus milagres, o santo atraía multidões. Foi ordenado bispo de Tours em 371 e fundou o mosteiro de Marmoutier, na margem do rio Loire, onde vivia na reclusão. Pregador incansável, foi também o fundador das primeiras igrejas rurais na região da Gália, onde atendia tanto ricos como pobres.

Morreu a oito de novembro de 397 em Candes e foi sepultado a onze de novembro em Tours, local de intensa peregrinação desde o século V.É na data do seu enterro, três dias depois de ter morrido em Candes, que se comemora o dia que lhe é dedicado.

Acredita-se que, na véspera e no dia das comemorações, o tempo melhora e o sol aparece. O acontecimento é conhecido pelo “verão de São Martinho” e é muitas vezes associado à conhecida lenda de São Martinho.

Fonte: Observador.pt

 

Correspondência de Guerra

Evocando o Centenário da I Guerra Mundial, a BE/CRE, em conjunto com o Departamento de História, apresentam, em exposição, as cartas trocadas entre os soldados e os seus familiares, recriadas pelos alunos do 9ºC e D.
A atividade enquadra-se no âmbito do estudo do tema, com a orientação da professora Lurdes Moedas.Testemunhos da Saudade e do Desassossego  


Correspondência de Guerra
 


Testemunhos da saudade e do Desasossego


 

 
 
11 de Novembro de 1918  - data do armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.
A notícia, nas primeiras páginas dos principais jornais da época.


Máscara protetora dos gases asfixiantes, utilizados na Grande Guerra.

De acordo com as estatísticas oficiais, morreram na Grande Guerra, cerca de 37 milhões de pessoas (civis e militares), entre 1914 e 1918. 
 


"Secam as fontes e os rios,
ardem as searas e a nossa casa
e as árvores nuas amaldiçoam o céu,
sem sabermos porquê.


Morrem os jovens antes de se amarem
e os poetas com os poemas inacabados
e as crianças olhando espantadas para o céu,
sem saberem porquê.


Um vento noturno deixou insepultos
ventres e seios e desejos de maternidade
nunca realizados,
e secou risos e cantares subindo para o céu,
sem sabermos porquê.

Andam as guerras pelo mundo:
somente possuímos uma voz, uma voz
e essa voz não se calará
e nós sabemos porquê!"

Tomaz Kim, Campo de Batalha