Carnaval na biblioteca

Durante a semana, nos intervalos, alguns alunos divertiram-se a criar mascarilhas, outros simplesmente a pintá-las e ainda  a fazer acrósticos engraçados  com as palavras "Carnaval, Máscara e Serpentinas".
E, com muito sentido de humor, meninos e meninas da casa, voluntariaram-se a ser fotografados, fazendo caretas bem estrambólicas, como manda o carnaval. Foram votadas e escolhidas as mais engraçadas e esquisitas, as que mais gozo e  riso provocaram.

 História da Máscara 

As máscaras são tão antigas quanto a população humana.
Tem-se conhecimento de que a primeira máscara remonta por volta de 30.000 A.C.
As máscaras foram várias vezes usadas pelas pessoas como passaportes para mundos imaginários, como um meio de transmissão de histórias e como uma explicação de factos naturais inexplicáveis…
O uso de máscaras, nalgumas culturas, permitiam o acesso  a dimensões espirituais invisíveis, e noutras, davam  mais vida às narrativas. Em  certos povos, eram utilizadas     para ornamentar os mortos, enquanto que  noutras civilizações, estavam  presentes  em diversos festejos.
O teatro é a arte que mais explora a magia das máscaras. No Japão, por exemplo, utilizam-se máscaras no palco até hoje, para marcar bem as características dos personagens.
 
Exposição das mascarilhas à roda do " Hipólito"



 No final do "Concurso de Máscaras" foram premiados os melhores, nos diferentes passa-tempos realizados na biblioteca, com pequenas lembranças.


Acrósticos:  1º Lugar- Soraia Vitória
                     2º Lugar- Sónia Guerra e Mariana Fernandes
                     3º Lugar- Mariana Santos e Daniela Gonçalves

Criação de mascarilha- Cátia Nascimento
Pintura de nascarilha- Soraia Carneiro
Caretas- Beatriz Roberto, Alexandra Nascimento e Gonçalo Cardoso


A "História da Máscara", exposta de passagem, para a comunidade

Sem comentários: